Uma Corda, Um Cordel

Menu
Foto de Leidson Macedo Felix

Capitão Jack

Mágico, poeta e cordelista

Capitão Jack (Leidson Macedo Felix), nasceu no dia 9 de março de 1990 em Currais Novos, no Rio Grande do Norte. É filho de Laercio Izaias Felix e Maria Elizabete de Macedo. Quando adolescente participava de grupos de teatro na escola onde estudava, desde então passou a amar o teatro. Em 2008, passou a apresentar em grandes espetáculos do Grupo de Teatro Adoleart. E, neste mesmo ano participou de uma oficina de teatro, através da Fundação José Bezerra Gomes, ministrada por Carlos Alberto Galvão Jr. (Júnior Caçarola), onde teve o contato maior e mais decisivo com a literatura de cordel. Ao término da oficina passou a integrar o Grupo Netota Cordel do Pau Quebrado, grupo destinado a declamação de poesia de cordel em junção com o teatro. No ano de 2009, começou a escrever e dirigir espetáculos teatrais pelo Adoleart. Passou a convidar, nas escolas, alunos que quisessem conhecer e/ou participar do teatro, assim, trazendo muitos jovens ao encontro com a dramaturgia.

Em 2010, deparou-se com uma cena que o tocou profundamente, quando uma criança recusou ir brincar com outra na rua, e ficou jogando vídeo game. Neste dia, decidiu relatar, através do cordel, as brincadeiras de sua infância, assim, fez o seu primeiro cordel “Brincadeiras de Infância”. Desse dia em diante passou a escrever várias poesias, algumas delas sobre a valorização do Planeta Terra. Entre suas poesias, uma que se destaca é a poesia “Não Cansei de Ser Poeta”, feita na época para um integrante do grupo que estava desistindo da poesia, e como forma de reacender a chama da poesia, veio a chama da inspiração compondo este belo cordel. Participou de várias apresentações, através do Grupo Netota Cordel do Pau Quebrado, em encontro de poetas, universidades e escolas públicas e privadas, como também, em homenagens a poetas de nossa região, entre eles, o poeta Antônio Francisco de Mossoró-RN.

Entre seus cordéis estão Povoado dos valores, Não deixem a felicidade escapar, Meu São João era assim, Minha querida Currais Novos, Um minuto pra pensar, O cangaceiro Severino Faca Cega, Isso é a imagem do sertão, Amor e caridade e A mágica é arte que faz encantar – publicados no site Recanto das letras.

No ano de 2012, decidiu itinerar com o Circo Grock viajando por todo o país, e em 2013 começou a trabalhar como mágico profissional. Por onde passava, fazia amigos e deixava as sementes de seus cordéis, inclusive com grupos de teatro. Em 2018, fez uma declamação no 6° Festival Tons da Vila, realizado pela UNIPAZ (Universidade da Paz), em Brasília-DF. Atualmente, organiza seus cordéis para lançar o seu primeiro livro com o título Não Cansei de Ser Poeta.

Cordéis do Autor

Ver mais