Uma Corda, Um Cordel

Menu

A busca do amor verdadeiro

Por Silva Júnior

Não busquem seres perfeitos

Pois jamais vão encontrar.

Busquem apenas pessoas

Que estejam dispostas a amar.

Não um amor interesseiro,

Nem um amor por inteiro,

Pois o amor não é bazar.

Busque o amor de verdade

Que está na caridade

De quem só deseja amar.

A unanimidade é burra?

Por Silva Júnior

Se a unanimidade é burra

Então me diz por favor:

De quanto é esse percentual?

Pra ver se incluído estou.

Posso até levar este título

Mas estou inocente meu Senhor.

O vaqueiro do sertão

Por Silva Júnior

Ao lado do seu cavalo

Roupa de couro, gibão

Rompe sem medo o mato

Guiado por seu coração

Figura ilustre e folclórica

O vaqueiro do sertão.

Vencedoras brasileiras

Por Silva Júnior

A esquadra feminina demonstrou

Muita garra e respeito a seleção.

Foram bravas, lutaram sem parar

Carregaram o Brasil no coração.

Dá orgulho ver a força e a garra,

Vencedoras no talento e na marra

Não desistem, continuam a lutar!

Parabéns para as nossas jogadoras

Todas elas para nós são vencedoras

Heroínas, que vamos sempre exaltar.

Sujeito entendedor

Por Silva Júnior

Não existe coisa mais chata

Que o sujeito entendedor

Se mete em todo assunto

Pensando ser um doutor.

Toma conta da conversa

Só fala o que lhe interessa

Quer ser o centro da atenção.

Respeite a cultura alheia

Sua retórica tá feia

Dê mais ouvido o irmão.

Do outro lado da porteira

Por Silva Júnior

Do outro lado da porteira

Tem muita história pra contar

De pai e mãe a prosear

Do gado solto no pasto

Das coisas que dá pro gasto

E que nos Traz felicidade

Não troco por uma cidade

A vida boa do campo

Aqui é onde me encanto

É onde vivo de verdade.

É tempo de animação

Por Silva Júnior

O nordeste está em festa

É tempo de animação

Com São Pedro e São João

A farra está garantida

Não existe nessa vida

Uma alegria maior

Pra Senhora e pro Senhor

Pro menino e pra menina

Essa é a nossa sina

É o nosso caso de amor.

Rhuan sentiu a maldade humana

Por Silva Júnior

Até onde vai a maldade humana?

É difícil de imaginar tamanha dor.

Rhuan sofreu, morreu sem perceber

Pelas mãos, de quem devia dar amor.

Teve a infância e a vida interrompida

E até onde viveu não teve vida

Da "familia" só viu o lado mais cruel!

Hoje ao lado de Jesus a descansar

Vai viver o amor maior que há,

Mais um anjo recebido lá no Céu.

Não se amarre ao passado

Por Silva Júnior

Solte as amarras do passado

Da culpa e mágoa que houver.

E somente assim poderás

Amar, ser feliz e viver!

Existir em função do passado

Te fará um(a) eterno(a) condenado(a)

Incapaz de extrair seu melhor.

Orgulhe-se do que é, do que tem,

Perdoe, vai lhe fazer muito bem

Contamine-se de paz, de amor.

de 1