Uma Corda, Um Cordel

Menu

Jaguaribe em Verso e Prosa

por Silva Júnior

Compartilhar

Vou contar-lhes uma história

Que me dá muito orgulho

Relato em verso e prosa

Sem fazer muito barulho

Comprometido com a verdade

A história de uma cidade

Do passado ao futuro.

Criada por uma resolução

Do Conselho Provincial

Aos seis de maio de 1833

Teve de alcunha inicial

Riacho do Sangue por nome

Obedecendo ao ditame

Do que era justo e legal

Em primeiro de agosto

Teve esse nome por fim

1864 o ano

A lei decidiu assim

E em 8 de Novembro

Com o território desmembrado

Passou a Jaguaribe Mirim

Com o desenvolvimento

Dessa terra brava e viril

O Mirim desapareceu

Com altivez e com brio

Jaguaribe é batizado

E inicia seu reinado

Ao lado esquerdo do Rio

Rio que leva seu nome

Onde a onça bebe água

Não existe um consenso

Por isso eu peço trégua

Rio da Onça e pronto!

Me deem esse desconto

Resolvido! Passa a régua.

Quem nasce em Jaguaribe

Jaguaribano é chamado

Carrega no sangue o orgulho

Deste título ter herdado

Terra de povo ordeiro

Amigo, hospitaleiro

Por vezes, desconfiado.

Terra do leite, do queijo

O melhor da região

Das festas e vaquejadas

Esporte, religião.

Fama de povo valente

Trabalhador e contente

De acordo com a ocasião.

Com muitos filhos ilustres

De renome em várias áreas

Celebrados ou no anonimato

Nos tempos ruins e de glórias

Juarez, Marechal exigente!

Candidato a presidente

Cravou seu nome na história.

Não posso escrever estes versos

Sem estes nomes citar

Orgulhos da nossa terra

Prefeitos deste lugar

Escreveram suas historias

Com honrarias e glórias

Temos que prestigiar.

Misael Cândido Pinheiro

Foi o primeiro intendente

João Leite Bezerra o último

E um prefeito competente

Por conta dessa mudança

A prefeitura veio como herança

E assumiu esta patente.

José Raimundo da Costa

Por sete meses foi prefeito.

Francisco Raulino Uchoa

Não ficou dois meses direito.

Verissimo Gomes da Silva

Que era casado com Cecília

Também assumiu de jeito.

Miguel de Sousa Peixoto

Em Janeiro foi nomeado

1917 foi o ano

Por ser um cabra arrojado

A primeira usina de algodão

Montou no nosso sertão

Deixando-nos como legado.

Já Domingos Paes Botão

Ficou dois anos no cargo

Prefeito bom e valente

Delegado, também foi nomeado.

Montou a primeira padaria

Com competência e alegria

Teve seu nome traçado.

Raimundo Nonato Pinheiro

Além de competente prefeito

Comprou o primeiro caminhão

E adquiriu o respeito

Por esse feito marcante

Teve seu nome pulsante

No Terminal de Passageiro.

Nomeado pelo governador

Justiniano de Serpa

Otacílio Guimarães

Foi prefeito, marcou época.

Advogado atuante e seguro

Trouxe a luz, porta pro futuro

Clareando as entocas.

Neste tema não podemos

Esquecer Chico Tercina

Pela sua inteligência

E seu trabalho na oficina

Também sendo um bem feitor

Otacílio trouxe o gerador

E Chico trouxe a lamparina.

Quem passou quarenta dias

Assumindo a prefeitura

Foi Tertuliano Pinheiro

Do comércio e da agricultura

Tirou o sustento da prole

Nessa vida não deu mole

Agiu com desenvoltura.

Desde a criação do cargo

Em 1914, de prefeito

Não houveram eleições

Só em 1926, houve o pleito

Na escolha por eleição

E ao gosto da população

Celso Lopes foi eleito.

Depois veio Manoel Barbosa

Avelino Pinheiro de Andrade

João Nogueira também assumiu

Celso Barreira com personalidade

Foi prefeito duas vezes

E mesmo com todos revezes

Cumpriu seu papel de verdade.

Adauto Machado Pinheiro

Comerciante afamado

Com personalidade marcante

Foi prefeito de todo agrado

Por problemas familiares

Mudou-se para outros ares

Após ser exonerado.

Francisco Diógenes Nogueira

Agrônomo de profissão

Foi prefeito a primeira vez

Dr. Pimentel fez a nomeação

Com o voto do seu povo

Elegeu-se prefeito de novo

Cumpriu bem sua missão.

Quem assumiu a prefeitura

De forma interinamente

Foi José de Brito Lima

Um intelectual competente

Altamiro Carvalho em seguida

Ambos com missão cumprida

Dois homens de alta patente.

Outro prefeito interino

Foi Eurico Alves Monteiro

Assumiu por trinta dias

Deixou o cargo ligeiro

Promovido a Desembargador

Recebeu honras e louvor

Foi um grande brasileiro.

Mais um filho de Jaguaribe

Que a prefeitura chegou

Fernandes Távora seu nome

Dentista a profissão que adotou

Teve por um tempo no Norte

No Acre tentou a sorte

Mas pra terrinha voltou.

José Apparício Bezerra

Prefeito bom! Competente

Médico hábil e generoso

Ajudou e curou muita gente

O social foi sua marca

E como bom patriarca

Cuidou do rico ao carente.

Comerciante e agropecuarista

Com forte personalidade

Francisco de Queiroz Diógenes

Foi prefeito da nossa cidade

Passou por seca e enchente

De forma ágil e competente

Lidou bem com a adversidade.

Francisco Nogueira Diógenes

Foi outro prefeito arretado

Zelou pelo equilíbrio das contas

E nosso patrimônio conservado

Trouxe o Banco do Nordeste

A telefonia também trouxeste

Grande Nogueira Pelado!

O primeiro prefeito eleito

Após o regime militar

Foi nosso Chico Benício

Marcou seu nome no lugar

Construiu a ponte sobre o Rio

Não fugiu de nenhum desafio

E nunca jamais fugirá.

Nascido na antiga Boa Vista

Atual Distrito de Mapuá

Foi eleito como prefeito

Pra um curto período ficar

Francisco Alves Moraes

Homem honesto, da paz!

Não há o que contestar.

Chegamos aos anos setenta

Desta época lembrança tenho

Eleito por duas vezes

De opinar não me abstenho

Franklin de Castro Gondim

Aplaudido pelo povo e por mim

Por conta do bom desempenho.

Outro prefeito marcante

Já tem seu nome na história

É José Távora Pinheiro

De muitos feitos e glória

Quatro mandatos cumpriu

Feito inédito no Brasil

Acostumou-se à vitória.

Já estamos na reta final

Falta pouco pra acabar

José Sérgio é um dos últimos

Que ainda falta comentar

Fez muito pela cidade

Tem do povo a reciprocidade

Por ser muito popular.

José Abner é o atual

Este já chegou com tudo

Revolucionando a cidade

Organizado e peitudo

Sinônimo de competência

Empresário com experiência

Projetando a cidade futuro.

Muitos versos precisavam

Pra Jaguaribe contar

Não tenho a pretensão

Nem esta hipótese suscitar

Vou agir com a razão

E deixar no coração

O que a boca quer falar.

Parabéns meu Jaguaribe

De povo guerreiro e viril

És nossa terra amada

Te defendemos com brio

Sua luz jamais se apagará

O futuro a te esperar

Pra ser destaque no Brasil.